Meio ambiente é o foco do blog produzido por alunos do 6º período de Jornalismo da PUC-Campinas, resultado da disciplina Jornalismo On Line.

sábado, 14 de novembro de 2009

Documentário revela saúde bucal do brasileiro

Lançado no final de outubro, o documentário Boca a Boca mostra o país dos desdentados.

Idealizado por Fábio Bibancos, criador da ONG Turma do Bem, o documentário é o primeiro no mundo a falar sobre a saúde bucal de um país. A estréia foi simultânea em 220 cidades brasileiras e em nove países da América Latina no dia 26 de outubro. Na cidade de Pedreira, cerca de 200 pessoas entre dentistas e pessoas comuns compareceram à estréia.
Intitulado Boca a Boca, o filme levanta questões como: porque itens como escovas de dente e pasta não estão na cesta básica? Ou quando os brasileiros terão direito a dentes saudáveis? Através dessas indagações, o filme tem como foi condutor histórias de seis crianças e jovens com problemas bucais atendidas pelo projeto “dentistas do bem” da ONG Turma do Bem. Dentistas que participam desse projeto comentam o que vêem todos os dias em seus consultórios, além de relatos de representantes do governo e pessoas comuns.
O projeto Dentistas do Bem atende crianças de baixa renda com problemas bucais. O cirurgião-dentista que coordena o projeto de cada cidade faz uma triagem nas escolas públicas e através dessa seleção essas crianças e jovens são atendidos gratuitamente pelos dentistas que participam do projeto em seu próprio consultório. O tratamento é de caráter curativo, preventivo e educativo. Em Pedreira a coordenadora há dois anos é Bruna Ganzarolli, segundo ela quando a criança é selecionada os pais não acreditam. ”Eles não acreditam que é 100% de graça, até você explicar que o filho vai ter tratamento bucal de graça até seus 18 anos, muitos demoram a entender”.
O vice-presidente do projeto Leonardo Ganzarolli explica que o projeto só atende a crianças e jovens de até 18 anos pois é a idade em que muitos problemas aparecem e quanto mais esses problemas crescem, mais interferem na vida dessa criança ou desse jovem.”O dentistas do bem trabalha com a faixa etária de 5ª a 8ª série, o critério de escolha que utilizamos beneficia as crianças com problemas bucais mais graves, mais pobres e mais próximas do primeiro emprego, pois é a fase onde a auto imagem é de suma importância.”
Na cidade de Pedreira existem cerca de 50 cirurgiões-dentistas, porém apenas 15 participam do projeto. Segundo a coordenadora, o documentário tem a finalidade de chamar a atenção não só de autoridades, mas dos próprios dentistas para que participem do projeto e façam a diferença.
Antonio Bonetto Junior, cirurgião-dentista que esteve na estréia e participa do dentistas do bem em Pedreira acrescenta: “Eu sabia da importância do que estamos fazendo, mas não sabia que a saúde bucal do brasileiro estava tão péssima”.
Segundo dados da Associação Brasileira de Odontologia existem 25 milhões de desdentados no Brasil, país que mais forma cirurgiões dentistas por ano. Hoje são 220 mil dentistas brasileiros, apenas 6 mil participam do dentistas do bem. “Não queremos substituir o governo, queremos chamar a atenção e ajudar a reverter esse quadro. O brasileiro prefere tirar todos os dentes da boca do que ter alguns dentes com dor, o documentário serve para isso, chamar a atenção dos dentistas, expor o projeto para a sociedade e alertar as autoridades” enfatiza Leonardo Ganzarolli.
Para Ana Cláudia Zonzini que assistiu á estréia e não tem relação com odontologia, o documentário é essencial para que as autoridades façam algo:”a maioria das famílias não tem condição de pagar qualquer que seja o tratamento bucal, é muito caro, mas quem sabe o governo acorde, enquanto isso essa ONG ajuda nossas crianças a ter uma saúde melhor agora e no futuro”.
O projeto Dentistas do Bem foi criado em 2002 pela ONG Turma do Bem, desde a sua criação já atendeu cerca de 12.000 menores nos consultórios particulares de 5.800 dentistas espalhados por todo o país. Mais de 70.000 jovens já foram triados no país.



Por Juliana Lazarini


video








POR JULIANA LAZARINI

Nenhum comentário: